Três alunas do Colégio Nestor Carvalho se destacam na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA)

Uma das alunas ganhou medalha de ouro na prova teórica e de bronze, na prova prática.

Por Taís Cristina

Dos seis estudantes da rede estadual de ensino que destacaram na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica 2021 (OBA), três são do Colégio Estadual Nestor Carvalho, em Itabaiana.

Alice Santos Vasconcelos e Emilly Vitória Leite Rezende, do 9º ano do ensino fundamental e Giovanna Ribeiro Nunes da Paixão, do 1º ano do ensino médio saíram vitoriosas da OBA, e conquistaram medalhas de ouro e bronze.

Emilly Vitória “arrebentou” tanto na prova teórica da OBA, na qual conquistou medalha de ouro, como na prática, a Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG), que conquistou bronze.

Desde pequena a estudante tinha gosto por disciplinas ligadas à astronomia. “Desde o 3º ano, eu sempre dizia que minhas matérias favoritas eram matemática e ciências, na verdade, ainda são. Eu amava quando o assunto de ciências era astronomia, mas na época eu não sabia que ele era conhecido assim, eu simplesmente dizia que gostava muito de ciências”, conta.

Ao lado da colega Alice Santos Vasconcelos, Emilly confeccionou um foguete, sob orientação do professor de Física do Nestor Carvalho, José Menezes, grande incentivador das estudantes.

Feito de garrafa PET e a base de lançamento em PVC, o foguete de Emilly e Alice alcançou 138 metros de distância, e as alunas conquistaram medalha de bronze na MOBFOG.

“Eu nunca tinha ouvido falar sobre a “MOBFOG”…Até uma colega de classe minha, Emilly, me chamar para participar da Mostra Brasileiras de foguetes. Eu fiquei animada, até porque era algo que eu nunca tinha feito. Me diverti bastante durante o período da construção do foguete! Mesmo se não ganhasse a medalha, não teria me arrependido de ter participado! Foi uma experiência única!”, relata Alice, que ganhou bronze junto com Emilly.

Outro destaque na OBA foi a estudante Giovanna Ribeiro, que também conquistou medalha de ouro na prova teórica. Ela já havia participado no ano passado e acumula o seu segundo ouro na OBA.

Giovanna é fã da astronomia e gosta de estudar essa ciência mais afundo. “Sempre achei interessante os astros. Além de eu amar a astronomia, acredito que a vontade de saber, ter conhecimento é o que me motiva”, afirma ela.

A dedicação e o gostar das três contou também com um “empurrão” do professor José Menezes, um apaixonado pela astronomia, assim como as alunas.

“Eu sempre acompanho olimpíadas científicas a nível estadual e nacional, e sempre estimulo os alunos, não só os meus, mas todos da escola a participarem. Gosto de divulgar as participações dos alunos nas redes sociais”, conta o professor.

No caso de Emilly e Alice, alunas do 9º ano, elas não tem aulas de Física com José, mas o procuraram para que ele as auxiliasse na construção do foguete, e deu super certo!

“Eu fico feliz, pelos alunos participarem, desafiarem os seus conhecimentos e irem atrás de seus objetivos. Assim como a Fadinha do Skate Raíssa, que foi atrás de seus sonhos, temos aqui as nossas Fadinhas da Astronomia, que também se destacaram e são exemplo para tantos jovens”, enfatiza o professor.