Criado em 2015, Ambulatório Trans da UFS de Lagarto oferece diversos serviços para esta população e quebra algumas barreiras

O acesso a saúde ainda se constitui um desafio para pessoas Trans. Neste contexto, em 2015, o Ambulatório Trans de Sergipe nasce de uma iniciativa do Departamento de Fonoaudiologia da Universidade Federal de Sergipe – Campus Lagarto. O Ambulatório é o único serviço especializado no processo transexualizador do estado e conta com dez especialidades desempenhadas por uma equipe multiprofissional.

Em 2017, a Professora Dra. Giselle Brito (DFAL-UFS), junto com os residentes farmacêuticos, implantaram o serviço de Cuidado Farmacêutico no Ambulatório Trans de Sergipe.

Este serviço oferta orientações sobre os medicamentos, apresentando a forma correta de uso, os riscos envolvidos e os benefícios esperados, bem como, por meio de acompanhamento farmacoterapêutico e ações educativas, promove adesão ao tratamento e previne outros problemas relacionados aos medicamentos.

Para compreender melhor a população Trans e verificar o impacto desse serviço, em 2020, a mestranda Carla Maria Lima Silva, do Programa de Pós-graduação em Ciências Aplicadas à Saúde (UFS-Lagarto), e a bolsista PIBIC Gabrielly Oliveira Cunha Moura, sob orientação da Dra. Giselle Brito, iniciaram uma  pesquisa para traçar o perfil da qualidade de vida das pessoas atendidas no ambulatório, bem como, mensurar o nível de satisfação frente ao serviço de Cuidado Farmacêutico.

Espera-se que esses resultados possam nortear futuras intervenções, proporcionar maior visibilidade as pessoas Trans e inspirar outros profissionais de saúde a qualificarem sua atuação junto a esta população.

*Essa matéria foi desenvolvida por integrantes do Programa de Pós-graduação em Ciências Aplicadas à Saúde da UFS de Lagarto, que semanalmente trará matérias sobre assuntos de interesse da população, aqui no Portal Itnet