Falso pastor investigado por aplicar golpes em Sergipe pretendia fugir para a Europa, diz polícia

Ele foi preso no último sábado, 14, no Distrito Federal e desembarcou em solo sergipano nesta terça, 17.

Foto: SSP/SE

Desembarcou em Aracaju na madrugada desta terça-feira, 17, o falso pastor investigado e preso por crimes de estelionato. De acordo com a Polícia Civil, ele aplicou alguns golpes em Sergipe e foi preso no último sábado, no Distrito Federal (DF), em cumprimento a mandados de prisão por estelionato e furto.

Alailson Amorim, de 41 anos pretendia fugir para a Europa, conforme informou o Departamento de Narcóticos (Denarc) da Polícia Civil de Sergipe, responsável pelas investigações.

Com a prisão, Alailson agora está à disposição da Justiça sergipana.

GOLPE:

“Segundo o procedimento investigativo, em fevereiro deste ano, a vítima de Aracaju, um idoso de 62 anos, viu o anúncio de um veículo em um site de vendas pelo valor de R$ 34 mil. Então entrou em contato com o vendedor, que se identificou como Alailson Amorim. No encontro marcado, o investigado se apresentou como juiz de direito e pastor evangélico e afirmou que o carro seria de propriedade de sua esposa”, informou a Polícia Civil.

O suspeito disse que estava vendendo o carro, pois queria montar uma igreja. Após todo o processo de negociação, feito em cartório, inclusive, o idoso descobriu que o veículo estava alienado com uma dívida de R$ 18 mil.

Alailson costumava utilizar perfis falsos, a fim de ameaçar as vítimas. “Ele mantinha perfis fakes em redes sociais dizendo ter parentes em cargos de destaque como forma de intimidar suas vítimas. Um suposto parente seria juiz federal, um tio policial civil e uma mulher advogada, todos com o sobrenome Amorim. O falso policial realizava postagens difamando as vítimas e ameaçando-as”, detalhou Hugo Leonardo, delegado responsável pelo caso.

FICHA CRIMINAL:

Em 2012, ele foi preso em flagrante, por ter furtado um carro em Aracaju. Também responde por estelionato, ameaça em contexto de violência doméstica, cárcere privado e estupro, práticas registradas em 15 de junho deste ano na cidade de Imperatriz/MA.

Alailson também é investigado por crimes semelhantes em outros estados: São Paulo, Mato Grosso do Sul, Alagoas, e Maranhão.

A Polícia Civil pede a colaboração da população. Outras vítimas do falso pastor devem procurar a polícia, para denunciar os casos.