Anvisa recomenda que os vacinados com as duas doses da coronaVac recebam dose de reforço

De acordo com o Ministro da Saúde, a aplicação desta terceira dose deve começar com os idosos e os profissionais da saúde.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou ontem, 18, que recomenda a aplicação de uma dose de reforço para os brasileiros vacinados contra o coronavírus, com as duas doses da vacina coronaVac.

De acordo com a Anvisa, a prioridade para esta terceira dose é os idosos e os pacientes imunocomprometidos.

“A decisão de recomendar uma dose de reforço é complexa. Reforço a necessidade de continuar a gerar dados e o monitoramento de vacinados. Também pondero que a variante Delta está circulando no Brasil, e uma dose extra pode ajudar a prevenir casos graves em idosos”, afirmou a diretora da Anvisa, Meiruze Sousa Freitas.

Segundo a diretora, apesar dessa recomendação é necessário antes de iniciar esta dose, ampliar e completar a cobertura vacinal a todos os cidadãos aptos, com a dose única ou as duas doses.

Após a recomendação da Anvisa, o Ministro da Saúde Marcelo Queiroga informou que a aplicação desta terceira dose deve começar com os idosos e os profissionais da saúde.

Ele também destacou que para iniciar a dose de reforço ainda são necessários mais dados científicos para que o Ministério da Saúde possa organizar a sua aplicação. “Planejamos, no momento que tivermos todos os dados científicos e tivermos o número de doses suficiente disponível, já orientar um reforço da vacinação. Isso vale para todos os imunizantes”.

A vacina CoronaVac, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, recebeu autorização temporária de uso emergencial da Anvisa no dia 17 de janeiro, assim como a Oxfor/AstraZeneca/Fiocruz.