TSE confirma cassação da deputada estadual por Sergipe Diná Almeida

O Tribunal considerou que Diná e o marido, que em 2018 era prefeito de Tobias Barreto utilizaram a máquina municipal em favor da candidatura dela.

Foto: arquivo pessoal

Em sessão na última terça-feira, 21, o plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmou a cassação do mandato da deputada estadual por Sergipe Maria Valdiná Almeida (Podemos), conhecida como “Diná Almeida”. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) já havia tomado a decisão anteriormente, que foi seguida pelo Superior.

A cassação se dá por abusos de poder econômico e político, visto que o Tribunal considerou que Diná e o seu marido, Diógenes Almeida, que em 2018 era prefeito de Tobias Barreto utilizaram a máquina municipal em favor da candidatura dela.

“Os ministros constataram, ainda, que a candidata teria recebido doações de fontes não identificadas, o que também teria afetado a igualdade na disputa eleitoral”, informou o TSE.

A decisão do TSE deixa o casal inelegível por oito anos (a partir de 2018) e determina também a anulação dos votos recebidos pela deputada em 2018 e a retotalização da votação proporcional para o cargo, com o imediato cumprimento da decisão pela Corte Regional.

ONDA AZUL:

Diná foi condenada por vincular a cor e o slogan de sua campanha à cor das ações realizadas pela Prefeitura de Tobias Barreto, comandada pelo seu marido, num movimento conhecido na localidade como “Onda Azul”.

Na ocasião, a Prefeitura teria prometido agilizar a distribuição de casas populares para a população mais carente de Tobias Barreto, por meio do programa “Minha Casa Minha Vida”, o que teria angariado apoio à candidatura da esposa do prefeito.

A deputada e sua assessoria ainda não se manifestaram sobre o assunto.