Corpo da sergipana assassinada em São Paulo chega a Sergipe para sepultamento

O companheiro dela foi preso e confessou a autoria do crime. A família da vítima pede justiça.

Foto: redes sociais

Chegou a Sergipe na última sexta-feira, 1º de outubro, o corpo da sergipana Tarciana Lima de Souza, de 34 anos, que foi morta asfixiada em São Paulo (SP), onde residia há 16 anos e trabalhava como babá. O companheiro dela foi preso e confessou a autoria do crime.

O corpo de Tarciana está sendo velado na residência da família, em Nossa Senhora do Socorro e foi sepultado às 10h deste sábado, dia 02. Os familiares estão inconformados e pedem que a justiça seja feita.

Ela entrava em contato com os familiares diariamente, através de ligações e costumava vir a Sergipe passar alguns dias com a família.

RELEMBRE O CASO:

Tarciana residia em São Paulo e tinha um relacionamento extraconjugal com Alexandro Francisco de Assis. Os dois tem um filho de cinco anos e pensavam em casar, apesar de viverem um relacionamento conturbado e dele já ser casado.

No dia 19 de setembro, Tarciana saiu para trabalhar, mas não chegou ao local e desapareceu. Ela foi vista pela última vez com Alexandro e a polícia investigava o seu desaparecimento.

Após a prisão no último dia 28, Alexandre disse que matou Tarciana asfixiada no dia 19 de setembro, e que enterrou o seu corpo, que foi encontrado na tarde do dia 29, numa região de mata no distrito de Parelheiros, em São Paulo.

Ele deverá responder pelo crime de feminicídio e ocultação de cadáver. O desaparecimento de Tarciana foi destaque em rede nacional e alguns programas de TV, como o Cidade Alerta acompanharam o desenrolar do caso, até o seu desfecho.