Uma hora, o Brasil iria parar de ganhar. Neste domingo, 10, a Seleção Brasileira empatou em 0 a 0 com a Colômbia e conheceu seu primeiro resultado que não uma vitória nas Eliminatórias para a Copa do Mundo.

Novamente em ritmo abaixo do esperado, os comandados de Tite deixaram a desejar. Apesar da melhora no segundo tempo após as entradas de Raphinha e Antony (novamente), desta vez não foi o suficiente.

Mesmo com este fator negativo, a equipe segue disparada na liderança. Até aqui, em 10 jogos, foram nove vitórias e um empate, com 28 pontos somados. É o melhor ataque (22 gols), a melhor defesa (3 gols) e tem o melhor aproveitamento (93,3%). Líder com sete pontos de vantagem para a Argentina, a seleção canarinha está virtualmente classificada para a Copa do Mundo de 2022, no Catar.

Ainda assim, as críticas são constantes. Seja ao modelo de jogo ou as escolhas do treinador para o XI inicial, o torcedor brasileiro anda bastante insatisfeito. Se a bronca é plausível? Difícil saber, uma vez que pouco vimos este time ser testado perante europeus.

No entanto, se considerarmos a fase dos jogadores, isso também pode se explicar. Neymar, o melhor do time e melhor brasileiro dos últimos anos, não vive seu melhor momento. Os demais atletas que jogam na Europa, apesar de irem bem em seus clubes, não são necessariamente protagonistas. E os jogadores que jogam no Brasil, bom… A diferença de performance fica evidente.

A seleção volta a campo na próxima quinta-feira, 14, diante do Uruguai, na Arena da Amazônia.

Foto: Lucas Figueiredo/CBF