O julgamento teve início na manhã da última quarta-feira, 13, e foi finalizado na tarde desta quinta-feira, 14.

Acabou a pouco o julgamento de Vitor Aragão, acusado de assassinar a marretadas a sua esposa, Ana Paula Jesus dos Santos Aragão, em Aracaju, no dia 11 de maio de 2019. Vitor foi condenado pelo júri popular, à pena de 21 anos, quatro meses e quinze dias em regime de reclusão, ou seja, regime fechado, por feminicídio, além de um mês e 19 dias em regime aberto para o delito de comunicação falsa de crime.

A informação foi passada à nossa equipe por Alexandre Vieira, irmão de Ana Paula. É ele, inclusive, que tem a guarda do filho do casal, que atualmente tem dez anos de idade.

 O julgamento ocorreu no Fórum Gumersindo Bessa, através da 8ª Vara Criminal de Aracaju e teve início na manhã da última quarta-feira, 13, e foi finalizado na tarde desta quinta-feira, 14, com a sentença do júri.

O CASO:

Ana Paula, que à época do crime tinha 26 anos foi encontrada sem vida na residência que vivia com Vitor, em Aracaju. No primeiro momento, o companheiro dela disse que a casa foi invadida por marginais e que ela foi vítima de latrocínio.

Porém, com o andamento das investigações, a Polícia Civil descobriu que não houve uma terceira pessoa na casa e que Vitor foi o responsável por agredir a companheira com golpes de marreta, o que ocasionou a sua morte.

O crime chocou as pessoas que conheciam o casal e repercutiu bastante em todo estado, principalmente em Itabaiana, terra natal de Ana Paula.

A defesa de Vitor disse que acredita na inocência do condenado e que recorrerá da decisão judicial. Ele estava preso no Copemcan, em São Cristóvão, aguardando o julgamento.