A informação chegou à nossa equipe de reportagem e contactamos o delegado André David, do Denarc, para falar sobre o caso.

Nesta terça-feira, 19, surgiram novos detalhes da Operação Olho de Hórus e estes chegaram à nossa equipe.

As informações referem-se ao envolvimento do itabaianense Rafael da Costa Santos, o “Rafael Scoobydoo”, que morreu durante a operação, em alguns crimes, entre eles, ameaças de morte a outros envolvidos na ação policial e seus familiares e a comercialização de armas e drogas.

Conforme as informações que recebemos, Rafael tinha uma grande “rixa” com outro homem preso na operação, identificado como Rafael Candido, e já havia ameaçado de morte este desafeto, bem como a sua família.

Rafael Candido foi preso por integrar uma quadrilha responsável por roubos a chácaras, quadrilha esta rival à quadrilha de Scoobydoo.

O preso tinha uma dívida de R$ 35 mil com Scooby e certa vez, em 2019 foi ameaçado (e a sua família, incluindo crianças de 02 e 04 anos) por ele, caso não pagasse. Quatro pessoas confirmaram as ameaças, inclusive, com reconhecimento fotográfico.

Esta dívida de R$ 35 mil seria ou proveniente do tráfico de drogas, ou de um roubo que Candido teria praticado na chácara de Scoobydoo, em 2019, e ele queria a “devolução”.

Desde então, existia uma verdadeira “guerra” entre os dois RAFAEL, e ambos tinham o objetivo de tirar a vida do outro desafeto.

Outro novo ponto é que Rafael também ameaçou de morte um homem em Nossa Senhora da Glória, que estava se relacionando com a sua ex “ficante”, e também havia ameaçado uma ex-namorada.

Ainda de acordo com os novos detalhes que surgiram, no mês de janeiro, Rafael Scoobydoo, supostamente foi roubado, porém, na verdade, o objetivo dos “ladrões”, que eram da quadrilha de Rafael Candido, era a sua morte, mas ele conseguiu fugir e não foi atingido pelos tiros; isso confirma a “guerra” que havia entre os dois.

Segundo o que foi passado à nossa equipe, no celular de Rafael foram encontradas conversas em que fica comprovado que ele comercializava armas e drogas, e que “ostentava” o armamento.

Com base nestas informações que chegaram à nossa equipe, entramos em contato com o delegado André David, responsável pelo Denarc de Sergipe e pela operação Olho de Hórus.

Em entrevista ao programa Itnet Notícias, da TV Itnet, o delegado confirmou que as informações que a nossa equipe recebeu são verdadeiras, e foram obtidas com o decorrer das investigações, depoimento de envolvidos, presos, pessoas ligadas a Rafael e o andamento do inquérito.

Confira na íntegra o que disse o delegado. A entrevista começa no sétimo minuto do programa Itnet Notícias: