O órgão divulgou que o fogo começou numa sala onde havia alta concentração de material combustível.

O Corpo de Bombeiros divulgou nesta quinta-feira, 21, o laudo finalizado, referente ao incêndio ocorrido no dia 18 de setembro, numa mercearia em Gararu, onde dois irmãos morreram no momento e a mãe deles, alguns dias depois. Segundo o laudo, o incêndio foi acidental.

“O laudo concluiu que a causa do incêndio foi acidental, proveniente da ação de crianças que estavam no local”, afirmou o Major Eanes Alves, que é perito de incêndio do Corpo de Bombeiros.

O fogo teve início numa sala no fundo da mercearia da família, que funcionava como depósito e uma espécie de escritório. Conforme o Major, no local havia uma alta concentração de material combustível, como papel, freezer, bebedouro, dois colchões de espuma e botijões.

“Havia uma alta concentração de material combustível no local, inclusive dois botijões de GLP que já haviam sido utilizados, mas não estavam vazios, ou seja, estavam sem o lacre de proteção. Por conta da alta temperatura, um mecanismo chamado de válvula de escape dos dois botijões se rompeu, gerando um intenso vazamento de gás, que potencializou ainda mais a propagação do fogo e dificultou a extinção das chamas”, pontuou.

Porém, a fonte de ignição utilizada pelas crianças no momento, que pode ter sido um isqueiro, ou fósforo, por exemplo, não foi identificada, justamente por conta da destruição no local e da alteração na cena do incêndio.

Atrelado ao laudo, o Corpo de Bombeiros fazem um alerta às pessoas, a fim de evitar ocorrências como esta.

“Alguns locais são perigosos e não adequados para a permanência de crianças. Além disso, as crianças devem estar sempre supervisionadas por um adulto e os produtos que possam causar acidentes longe do alcance delas”, ressaltou o Major Eanes Alves.

Foto: Corpo de Bombeiros