O julgamento ocorreu na manhã desta terça-feira, 26, no Fórum Maurício Graccho Cardoso.

Finalizou por volta das 13h desta terça-feira, 26, o julgamento de Italo Rian Santana dos Santos, que em júri popular foi condenado a um total de 14 anos de prisão, em regime inicial fechado pela morte de Manoel Gomes de Oliveira Filho, conhecido como “Pezão Caminhoneiro”, morto a pauladas em 2018, em Itabaiana.

O julgamento ocorreu no Fórum Maurício Graccho Cardoso, em Itabaiana e de acordo com o veredito, foi atribuída a Italo, por homicídio qualificado “a pena-base privativa de liberdade de 12 anos de reclusão, com o agravo de 1/6 (um sexto) por ter sido o crime praticado por motivo fútil, totalizando a pena em 14 anos de reclusão, com o regime inicial fechado”.

O CRIME:

Pezão foi morto a pauladas na manhã do dia 17 de agosto de 2018, na rua Abdias Venâncio Neto, localizada no bairro Serrano, em Itabaiana. As pauladas atingiram a sua cabeça.

O pedaço de madeira utilizado no crime estava ao lado do corpo da vítima e o crime aconteceu após uma discussão entre Manoel e Italo, que era catador de recicláveis, em frente à casa da vítima.

Italo foi preso em abril de 2019, no município de Brejo Grande e as investigações apontaram que ele matou o caminhoneiro, pois este reclamou que o catador havia mexido no lixo em frente da sua residência.

“Italo se armou com um pedaço de madeira e desferiu golpes na cabeça da vítima, que morreu no local”, detalhou o delegado Tarcísio Tenório, à época da prisão.