Eles foram indiciados pelos crimes de ameaça e injúria.

O presidente e o vice-presidente da Torcida Trovão Azul foram indiciados pelas práticas de ameaça e injúria cometidas contra gestores do Confiança e também contra jogadores do time esportivo.

Os crimes foram praticados por meio de redes sociais. As investigações foram conduzidas pelo Departamento de Crimes Contra o Patrimônio (Depatri) da Polícia Civil. O resultado do inquérito policial foi apresentado nesta quinta-feira, 28.

De acordo com a delegada Suirá Paim, com a divulgação das agressões foi instaurado o inquérito policial para apuração do caso e responsabilização dos autores.

“Após a veiculação na imprensa da notícia de que os jogadores e o presidente do Confiança estavam recebendo mensagens ameaçadoras e ofensas por meio de rede social, foi instaurado inquérito policial para apuração dos fatos”, acrescentou.

Suirá Paim detalhou que a investigação também levou em consideração a análise de documentos e oitivas de testemunhas.

“Após essas análises, constatamos que as agressões  partiram de membros da torcida organizada Trovão Azul, que estavam insatisfeitos com as derrotas sofridas pelo time. Uma das vítimas ressaltou que as agressões ocorriam desde abril deste ano e que fez representação criminal contra os agressores”, complementou.

Segundo a delegada Lauana Guedes, os responsáveis foram identificados e ouvidos, com a investigação resultando no indiciamento. “Durante os trabalhos investigativos, descobrimos que os responsáveis pelas ofensas foram o presidente e o vice-presidente da torcida Trovão Azul”, informou.

Conforme mencionou Lauana Guedes, houve o reconhecimento das práticas de ameaças e ofensas contra a direção e contra os jogadores do Confiança. “Enquanto o presidente lamentou seus comentários, o vice-presidente afirmou que, como o único intuito era aumentar o desempenho dos jogadores do Confiança, o que aconteceu, não estava arrependido pelo que postou”, pontuou.

Fonte: SSP/SE
Foto: redes sociais