O ex-ministro da Justiça de Bolsonaro ainda não anunciou, mas, “tá muito na cara” que ele deverá disputar a Presidência em 2022.

Foto: Estadão

Aconteceu nesta quarta-feira, 10, em Brasília, o ato de filiação do ex-ministro da Justiça do Governo Bolsonaro e ex-juiz, Sérgio Moro, ao partido Podemos.

Moro está usando o lema “Por um Brasil justo para todos”, e apesar da filiação, a pouco mais de um ano das eleições de 2022, não anunciou para onde vai caminhar, mas, muito se comenta e “está na cara” que Moro deverá disputar a Presidência, até mesmo, pelo seu lema.

Caso isso ocorra, Sérgio Moro pode enfrentar duas personalidades importantes de sua trajetória: Lula, preso durante a Operação Lava Jato, desencadeada por Moro, enquanto juiz da 13ª Vara Federal Criminal de Curitiba e Jair Bolsonaro, que já foi aliado do ex-juiz e o nomeou à pasta da Justiça assim que assumiu a Presidência.

Moro e Bolsonaro entraram em conflito no ano passado, após ele acusar o presidente de tentar interferir na Polícia Federal. Durante a prisão de Lula, Moro foi aplaudido de pé pelos eleitores bolsonaristas e considerado um “herói”, responsável por iniciar uma “limpeza” na corrupção no Brasil.

“Embora tenha muita gente boa na política, nós não vemos grandes avanços. Após um ano fora, eu resolvi voltar. Não podia ficar quieto, sem dizer o que penso, sem tentar, mais uma vez, com vocês, ajudar o Brasil. Então, resolvi fazer do jeito que me restava, entrando na política, corrigindo isso de dentro para fora”, afirmou Moro, em seu discurso.