Pix Saque e Pix Troco? Saiba como funcionam os dois serviços, disponíveis a partir de hoje, 29

O brasileiro poderá fazer saque em locais como padarias e supermercados, e não mais apenas no caixa eletrônico.

Foto: Banco Central

Começou a operar hoje, 29, em todo Brasil, o Pix Saque e Pix Troco, as duas novas modalidades do PIX, lançado no ano passado, pelo Banco Central. O brasileiro poderá fazer saque em locais como padarias e supermercados, e não mais apenas no caixa eletrônico, como anteriormente.

Como funciona?

PIX SAQUE:

Permite que os clientes façam saques no estabelecimento, desde que o serviço seja ofertado no local.

Como exemplo, o cliente vai a um supermercado que oferte o PIX Saque e deseja sacar lá a quantia de R$ 100, em espécie.

Ele faz um Pix para o agente de saque, no caso, o responsável pelo estabelecimento, a partir da leitura de um QR Code ou do aplicativo do prestador do serviço e recebe o dinheiro, em espécie, após confirmação do Pix.

PIX TROCO:

Funciona de maneira semelhante ao Pix Saque, a única diferença é que o saque do valor em espécie pode ser feito durante o pagamento de uma compra feita no estabelecimento.

Nesse caso, o Pix é feito pelo valor total, ou seja, da compra mais o saque. No extrato do cliente aparecerá o valor correspondente ao saque e à compra.

De acordo com o Banco Central, o limite máximo das transações do Pix Saque e do Pix Troco será de R$ 500,00 durante o dia, e de R$ 100,00, das 20h às 6h.

Para o comércio que disponibilizar o serviço, as novas operações representarão o recebimento de uma tarifa que pode variar de R$ 0,25 a R$ 0,95 por transação, a depender da negociação com a sua instituição de relacionamento.

Poderão ofertar as duas novas modalidades:

-Estabelecimentos comerciais;

-Instituições financeiras com rede própria de ATM;

-Terminais de auto atendimento, como caixas 24 horas;

-Entidades que ofertam rede independente (compartilhada) de ATM.