O Galo ganhou mais uma vez! Atlético-MG derrota Furacão e se consagra bicampeão da Copa do Brasil

Chegou ao fim a temporada de futebol brasileiro em 2021! Na noite desta quarta-feira, 15, o Atlético-MG derrotou o Athletico-PR por 2 a 1 e se sagrou bicampeão da Copa do Brasil. Os gols do Galo foram marcados por Keno e Hulk, enquanto Jaderson descontou para o time da casa.

Se na primeira partida (vitória por 4 a 0) o time mineiro sobrou com tranquilidade, hoje a situação foi um pouco mais diferente. No embalo da torcida que lotou a Arena da Baixada, em Curitiba, os rubro-negros acreditavam numa reação, e por muito pouco ela não aconteceu.

Primeiro tempo

O Athletico começou melhor a partida, e chegou a abrir o placar com Pedro Rocha após cruzamento de Cittadini. Apesar da euforia da torcida e dos jogadores, o gol foi anulado após o VAR identificar toque de mão do atacante.

Precisando marcar a todo custo, o time de Alberto Valentim permaneceu se lançando ao ataque e deu à equipe de Cuca o que eles mais queriam: o contra-ataque. Pouco tempo depois do gol anulado, o Galo encaixou um contra-ataque de manual e Keno abriu o placar apara os alvinegros. Silêncio dos donos da casa e euforia dos visitantes, que viam o segundo bicampeonato do ano ficar ainda mais próximo.

Entre conflitos dos jogadores, reclamações da torcida e muita movimentação em campo, a final, apesar de ter parecer um campeão definido, se estendia com um clima caótico. O Furacão, que sentiu bastante o gol do Galo, foi para o intervalo no lucro, pois por muito pouco não sofreu mais um.

Segundo tempo

Na volta, o CAP novamente demonstrou bastante ímpeto, mas não foi o suficiente. Além do Atlético-MG se defender muito bem, constantemente levavam perigo com movimentações rápidas, contra-ataques e triangulações bem elaboradas.

Por parte do Athletico, cabia tentar alguns cruzamentos e chutes de longe – esses sempre parando em boas defesas do goleiro Éverson. Inclusive, o Furacão teve mais um gol anulado, dessa vez de Mingotti, em posição de impedimento.

Já sem muitas esperanças, a situação foi definida aos 30 minutos da segunda etapa. Savarino, que tinha entrado há pouco tempo, deu excelente passe para Hulk marcar, de cavadinha – a mesma que não tinha entrado no jogo de ida e nem no primeiro tempo -, o gol do título atleticano da Copa do Brasil.

Já no fim, Jaderson ainda marcou o gol de honra dos mandantes. Gol esse que honrou a grande festa feita pela torcida na Arena, a qual cantou até o último minuto para celebrar a boa temporada. Em 2021, além do vice-campeonato de hoje, o Athletico conquistou a Copa Sul-Americana pela segunda vez em sua história, garantindo vaga para a Libertadores do próximo ano.

Hulk artilheiro e Galo vitorioso

Se existe um personagem principal na temporada do Atlético Mineiro, este personagem é o Hulk. E não estou falando do herói dos cinemas e das histórias em quadrinho, mas sim do atacante de 35 anos.

Em 68 jogos, foram 36 gols marcados e 13 assistências, um total de 49 participações em gol. Foi artilheiro do Brasileirão e artilheiro da Copa do Brasil, além de ter sido uma das peças-chave no título do Campeonato Mineiro.

Num ano onde o Galo se acostumou a erguer taças, pôs fim a uma espera cinquentenária no Brasileiro e já embalou dois bicampeonatos em sequência, Hulk se destacou como o grande nome de um elenco estrelado. Esse Atlético-MG teve mais de um jogador se destacando em cada setor do campo, mas foi o paraibano a peça principal.

E se dinheiro já não foi problema nos dois últimos anos, em 2022 também não deve ser. Com as conquistas, o clube arrecadou R$ 145 milhões em premiações e enxerga um horizonte cada vez mais próspero para o próximo ano.

Foto: Divulgação/CONMEBOL Libertadores Twitter