CASO CARLOS: No Itnet Notícias, irmão da vítima e delegado falam sobre o homicídio e prisão ocorrida em setembro

Carlos dos Santos Silva foi assassinado a tiros na tarde do último dia de 2021, em frente à sua residência, em Itabaiana.

Na volta do programa Itnet Notícias, o apresentador Luiz Carlos Focca abordou o homicídio ocorrido na última quinta-feira, 31 de dezembro, em Itabaiana, que teve como vítima, Carlos dos Santos Silva, de 32 anos, morto a tiros. Um irmão da vítima e o Delegado Regional falaram sobre o caso.

Carlos havia sido preso, temporariamente, no mês de setembro, por policiais da Delegacia Regional de Itabaiana, suspeito de participação numa tentativa de homicídio, seguida de roubo à mão armada ocorrida no mês de julho. De acordo com os familiares, à época foi feito um juízo antecipado de valor, por parte dos responsáveis pelas investigações.

“Na casa de Carlos foi apreendida uma arma, que é toda legalizada e em momento nenhum saiu essa informação. Foi apreendido um carro suspeito, legalizado, que foi solto. Até agora o que há contra meu irmão é o fato da barba parecer com a barba do homem do vídeo que a polícia teve acesso”, disse Wellinton, irmão de Carlos.

A família acha que a morte de Carlos pode de alguma maneira ter ligação com o caso citado acima, referente a essa tentativa de homicídio que ele foi preso.

“Foi divulgado um juízo antecipado de valor, foi divulgado como se ele fosse o culpado, foi desse jeito que foi feito. Você acha que no mundo da criminalidade, isso fica assim? Não fica”, completou o irmão de Carlos, que disse ainda que espera que um trabalho responsável seja feito, para chegar a quem tirou a vida dele.

O delegado Tarcísio Tenório também falou sobre o início das investigações acerca do homicídio e sobre a polêmica envolvendo a prisão de Carlos, que foi comandada por ele.

“Eu respeito a dor da família, mas deixo claro que a Polícia Civil é uma instituição séria, que trabalha com base em investigações, no que é levantado pelas equipes de local de crime, depoimentos, análises de imagens e tudo isso foi feito no inquérito, até se chegar aos suspeitos e ao indiciamento de Carlos, como um deles”, disse o delegado Tarcísio Tenório.

Após ter cumprido a prisão temporária, Carlos estava fazendo uso de tornozeleira eletrônica, conforme determinação da Justiça. O delegado completou dizendo que o homicídio de Carlos será investigado, como todos os outros, até mesmo para descobrir se a morte teve alguma ligação com o crime anterior.

“Nossa missão é investigar, independente do perfil da vítima, se tem histórico criminal, ou não; aproveito para pedir ajuda da população, que pode denunciar, caso tenha alguma informação relevante, através do número 181”, completou Tarcísio.

Veja na íntegra a entrevista do delegado, a partir de 22 minutos e a do irmão da vítima, a partir de 1h e 27 minutos: