ALERTA: o que pode ter agravado tão rápido o quadro de Paulinha até o coma, lesões cerebrais e morte?

Existe a possibilidade de que o uso de alguns medicamentos tenha sido a causa de inflamações e lesões, porém, isso ainda não foi confirmado.

A morte da cantora Paulinha Abelha, de 43 anos, e o rápido agravamento do seu quadro de saúde, desde a internação, até o coma profundo e as lesões cerebrais acende um sinal de alerta, principalmente pela rapidez com que tudo se agravou. O que pode ter acontecido com Paulinha?

Apesar de ter sido internada no dia 11, a saúde de Paulinha já havia dado sinais de que algo não estava dentro da normalidade. No dia 09, quando participou de um podcast junto com os demais integrantes da Calcinha Preta, a cantora relatou que havia desmaiado antes.

“Eu senti um ‘passamento’. Mas nada que o PodPah (nome do podcast) não resolva, está tudo ótimo. Qualquer coisa, se eu ficar tonta, eu vou ali. Mas comi igual a uma lontra, ontem jantamos um sushi maravilhoso”, disse ela. Dois dias depois, a cantora foi internada, com insuficiência renal, no Hospital Unimed, em Aracaju.

O quadro de Paulinha não era simples, visto que ela já foi direto para a UTI e estava fazendo diálise. No dia 17, ela entrou em coma, um coma profundo e grave, foi transferida para o Hospital Primavera e assim permaneceu, sem nenhuma evolução concreta, até ontem, 23, dia de sua morte.

O quadro de Paulinha é difícil até da própria medicina desvendar. Segundo a nota do Primavera, a morte se deu em decorrência  de um quadro de comprometimento multissistêmico.

Desde que ela foi internada, a imprensa local e nacional, como os sites O Globo e Metrópoles, por exemplo começou a tentar entender o caso e com base no que disseram os próprios médicos, existem algumas hipóteses do que pode ter ocasionado tudo isso: intoxicação por remédio para emagrecer, doença autoimune e também a ‘síndrome do sushi’.

Na primeira hipótese, conforme a coluna de Leo Dias, os médicos disseram que Paulinha teve uma “síndrome tóxico-metabólica”; ela estava fazendo o uso de remédios para emagrecer.

“Eles explicaram que alguma substância que estava circulando no corpo da paciente estava causando ‘uma cascata de inflamações ou lesões ou de lesões nesses órgãos’. Apesar de ressaltarem que os remédios usados por Paulinha estavam sob ‘caráter supervisionado’, há a hipótese de que a paciente tenha tido uma lesão decorrente dos tratamentos e medicamentos usados”, pontuou Leo Dias.

Na segunda hipótese, citada pelo O Globo, também com base no relato dos médicos, uma doença autoimune também estava sendo investigada. “Uma possível doença autoimune, quando o próprio corpo ataca o sistema imunológico, também foi investigada. Um possível quadro de comprometimento renal crônico anterior foi descartado, assim como a ligação de bactéria ou vírus com o quadro neurológico”.

A terceira hipótese, também citada pelo O Globo é a Síndrome de Haff, popularmente conhecida como “doença do sushi”, que tem rápido início após a ingestão de certos peixes e crustáceos.

“A doença entrou na lista de investigação porque Paulinha Abelha comeu em um restaurante na véspera de sua indisposição. Os médicos, no entanto, não acreditam nessa hipótese por conta da evolução neurológica, o que não é comum na Síndrome de Haff”, completou O Globo.

Todas as hipóteses acendem um sinal de alerta, pois às vezes, começa com algo quase silencioso, que pode até passar despercebido, mas acaba, na verdade, sendo algo extremamente grave e ocasionando a morte.