Você sabia? É LEI que bibliotecas públicas mantenham um espaço destinado a obras de escritores sergipanos

O assunto em questão virou lei estadual em 2020, através de um projeto de autoria do deputado Talysson de Valmir.

Quando o assunto é leitura, livros, literatura, arte e cultura, Sergipe é rico de talentos, obras e autores. E para enaltecer e dar visibilidade aos escritores sergipanos e suas obras, você sabia que é obrigatório que as bibliotecas públicas sergipanas tenham um espaço destinado à produção sergipana?

Isso se tornou obrigatório no ano de 2020, quando virou lei estadual, sancionada pelo governador Belivaldo Chagas, através de um projeto de lei de autoria do deputado Talysson de Valmir (PL).

“As bibliotecas públicas de Sergipe ficam obrigadas a manter, em suas dependências, áreas ou espaços específicos para livros e obras de autores sergipanos. As bibliotecas das escolas públicas estaduais também devem manter espaços destacando os livros e obras de autores sergipanos”, diz o texto da LEI Nº 8.706, DE 08 DE JULHO DE 2020.

“A literatura de Sergipe é uma das mais ricas do Brasil, com escritores como Tobias Barreto, Ilma Fontes, Manuel Bonfim, Edson Almeida Valadares, Mário Cabral, João Sapateiro e tantos outros que deixaram seu nome na história, mas que são desconhecidos por significativa parte dos mais jovens. Precisamos valorizar nossos autores. A leitura é a chave para o conhecimento”, disse o deputado, à época que desenvolveu o projeto de lei.

Em Itabaiana, a Biblioteca Pública Municipal tem um acervo com cerca de 600 livros de autores sergipanos, destes, em média 200, são de escritores de Itabaiana. No local, o espaço destinado às obras produzidas no estado é amplo e recheado de conteúdo.

Conforme a Secretaria de Cultura, antes mesmo de ser lei, a biblioteca de Itabaiana já tinha o espaço destinado, pois os responsáveis sempre entenderam o quão importante é a produção literária de Sergipe.

Para o escritor itabaianense Antônio Saracura, cujas obras estão no acervo de Itabaiana e de tantas outras bibliotecas públicas, a lei desempenhou um papel fundamental para o trabalho e dedicação dos escritores.

“Fiquei muito alegre e satisfeito quando essa lei foi criada. Ela é muito importante para que os nossos produtos, os livros sejam divulgados e lidos, principalmente aqui, em nosso estado; esse destaque ajuda muito para que os nossos livros sejam conhecidos”, disse ele, que completou enfatizando ainda que já esteve na Biblioteca de Itabaiana e viu suas obras, lá expostas e destacadas.