Diretor-executivo e Chefe da inteligência da PRF são exonerados, uma semana após morte cruel em Sergipe

As exonerações, não justificadas foram publicadas nesta terça-feira, 31, no “Diário Oficial da União”.

Uma semana após a abordagem desastrosa de três policiais rodoviários federais, que terminou em morte no município de Umbaúba (SE), o Diretor-executivo da PRF, Jean Coelho e o Chefe da inteligência, Allan da Mota Rebello foram exonerados dos cargos.

As exonerações, não justificadas até o momento foram publicadas nesta terça-feira, 31, no “Diário Oficial da União” e assinadas pelo ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira. O Governo Federal ainda não anunciou os substitutos.

CASO GENIVALDO:

Genivaldo de Jesus Santos, de 38 anos foi morto durante uma abordagem desastrosa de três policiais rodoviários federais na BR-101, no município de Umbaúba, no último dia 25. Hoje será a missa de sétimo dia.

Os agentes utilizaram spray de pimenta e gás lacrimogêneo na viatura em que Genivaldo estava preso.

De acordo com o Instituto Médico Legal (IML), Genivaldo morreu por asfixia mecânica e insuficiência respiratória aguda. O caso chocou quem presenciou e gerou revolta e comoção em todo Brasil.

Os policiais envolvidos foram afastados de suas atividades, mas os familiares e advogados de Genivaldo estão buscando que a Polícia Federal, responsável pelas investigações determine a prisão temporária dos agentes da PRF envolvidos.