Nutróloga de Paulinha Abelha desabafa: “muitos pacientes interromperam seu tratamento em razão das inverdades”

Paula Cavallaro publicou um vídeo em suas redes sociais, ao lado de Clevinho Santana, viúvo da cantora.

“Hoje eu resolvi falar sobre as injustiças que fizeram comigo, em decorrência do falecimento da minha eterna amiga Paulinha Abelha. Algumas pessoas utilizaram as redes sociais para me difamar, onde sofri acusações injustas, que não afetaram só a mim, mas prejudicaram também, outros profissionais médicos, e a muitos pacientes que interromperam seu tratamento em razão das inverdades disseminadas maldosamente nas redes sociais”, relatou Paula Cavallaro, Nutróloga que acompanhava a vocalista da Calcinha Preta.

Paula publicou um vídeo em suas redes sociais, ao lado de Clevinho Santana, viúvo de Paulinha Abelha e falou sobre como foi difícil lidar com a morte de sua paciente e amiga, ao mesmo tempo que muitas pessoas, de certa forma atribuíam ao tratamento passado por ela, o agravamento do caso e até mesmo a morte da vocalista.

A nutróloga comentou que Paulinha cuidava da saúde, tinha hábitos bons e consumia “comidas de verdade”. Ela reiterou que o parecer médico, divulgado em 31 de março, descartou que a morte de Paulinha tivesse ligação com o uso de medicamentos prescritos por ela.

Na publicação, Clevinho Santana agradeceu a Paula pelo acompanhamento. “Confio plenamente no seu trabalho, você é um exemplo de profissional. Um ser humano incrível. Deus te abençoe, minha amiga”, comentou o viúvo.

Veja o desabafo da nutróloga acessando este link.

Paulinha morreu no dia 23 de fevereiro, em decorrência de meningoencefalite, hipertensão craniana, insuficiência renal aguda e hepatite.

O parecer médico divulgado em 31 de março, assinado pelo médico Nelson Bruni C. Freitas, contratado de forma particular pela Calcinha Preta descartou que as lesões renais de Paulinha Abelha tivessem relação com o uso de medicamentos, tanto antes, como durante sua internação.

MORTE DE PAULINHA:

Paulinha foi internada no Hospital Unimed, em Aracaju, no dia 11 de fevereiro, com um quadro de insuficiência renal. No dia 17, ela entrou em coma profundo e foi transferida para o Primavera, onde seguiu internada até o dia  23, quando faleceu, após o agravamento de lesões neurológicas.

Ela faleceu aos 43 anos e durante quase duas décadas, com seu talento e encanto brilhou muito na Calcinha Preta. Em sua voz foram eternizados grandes sucessos da banda, como Babydoll, Sonho lindo, Louca por ti e Onde o sonho mora.