Feto é encontrado em igreja no Bairro Ponto Novo, em Aracaju

Polícia Civil e Militar, além do DHPP, já estão investigando o caso.

Na manhã desta terça-feira (14), um feto foi encontrado na Paróquia Nossa Senhora de Fátima, no Bairro Ponto Novo, em Aracaju. A informação foi divulgada pela Arquidiocese da capital e o Departamento de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) está investigando o caso.

Segundo a zeladora, o feto foi deixado próximo ao banheiro, na parte externa da Capela do Santíssimo. Ela o encontrou após sentir um cheiro forte no local.

As polícias Civil e Militar, além do Instituto Médico Legal, estiveram no local. Um Boletim de Ocorrência também foi registrado pelo padre responsável pela paróquia.

Confira a nota de esclarecimento da Arquidiocese:

“O direito à vida é incondicional. Deve ser respeitado e defendido, em qualquer etapa ou condição em que se encontre a pessoa humana. O direito à vida permanece, na sua totalidade, para o idoso fragilizado, para o doente em fase terminal, para a pessoa com deficiência, para a criança que acaba de nascer e também para aquela que ainda não nasceu. Na realidade, desde quando o óvulo é fecundado, encontra-se inaugurada uma nova vida, que não é nem a do pai, nem a da mãe, mas a de um novo ser humano. Contém em si a singularidade e o dinamismo da pessoa humana: um ser que recebe a tarefa de vir-a-ser. Ele não viria jamais a tornar-se humano, se não o fosse desde início. Esta verdade é de caráter antropológico, ético e científico. Não se restringe à argumentação de cunho teológico ou religioso.

O respeito à vida e à dignidade das mulheres deve ser promovido, para superar a violência e a discriminação por elas sofridas. A Igreja quer acolher com misericórdia e prestar assistência pastoral às mulheres que sofreram a triste experiência do aborto. O aborto jamais pode ser considerado um direito da mulher ou do homem, sobre a vida do nascituro. A ninguém pode ser dado o direito de eliminar outra pessoa.

Na manhã de hoje (14) foi encontrado um Feto abortado próximo aos banheiros da Igreja, onde antes acendiam-se velas de devoção, na parede externa da Capela do Santíssimo. O mesmo foi encontrado pela zeladora, que sentindo um forte odor e vendo marcas de sangue, lavou o local e recolheu sem saber do que se tratava. A mesma comunicou a secretaria paroquial que imediatamente levou ao meu conhecimento.

Sob minha orientação, a secretaria paroquial encaminhou as fotos ao médico amigo Dr. Joel Torres e sua esposa, que confirmaram ser um feto. E orientou-me a prestar um BO. Antes de o fazer, liguei para o amigo Lucas Pinheiro da Polícia Civil que orientou-me os passos a serem tomados ligando para o 190. O mesmo fez-se presente até a chegada da viatura.

Desta forma, a Polícia Militar fazendo-se presente, acionaram a Polícia Civil, que também esteve presente ao local, tomando as providências com a criminalística e o IML para recolher o feto abortado. Sob orientação do delegado presente, nos dirigimos, com a zeladora para prestarmos BO na Superintendência da Polícia Civil desta capital.

No mais, agradeço aos policiais e amigos que nos orientaram.

Esta mesma Nota será divulgada nas redes sociais da Paróquia e da Arquidiocese.

Não irei pronunciar-me mais a respeito e nem os funcionários da paróquia estão autorizados.

Conclamamos os paroquianos e demais fiéis a unirem-se em oração e a se mobilizar, promovendo atividades pelo respeito da dignidade integral da vida humana.”

Foto: Arquivo