Opinião

Sem a força do esposo, Eliane Aquino desiste, e Rogério Carvalho é o novo líder do PT em Sergipe

Mesmo sobre várias criticas na Gestão da Saúde Rogério se firma.
por Redação do Portal Itnet
25/02/2014 08:31h

O PT sergipano há muito tempo foi um partido ideológico,  que nasceu com o respaldo da sociedade esquerdista que vivia sonhando com as revoluções mundo a fora.

Com a morte de Déda e o mensalão na politica nacional, o PT em Sergipe perdeu grande parte dos seus admiradores, mergulhado em crise, desde que a doença entrou em seu estagio terminal, o PT começou a se dividir internamente. O grupo que antes pertencia ao governador, competia internamente com a ala mais radical, o grupo de Ana Lúcia.

Agora, com a possibilidade real de liderar o PT sergipano Rogério não hesitou em se aproximar da deputada e amarrar um modelo distante do seu compatriota Marcio Macedo e, já nas eleições do partido mesmo com seu grande 'guru' nos braços da morte, ele dividiu opiniões e se aliou ao grupo radical fazendo frente a Déda. Acabou vencendo as eleições internas.

Um ano depois começou uma campanha contra a viúva do seu antigo líder, depois de ver a possibilidade da mesma continuar o legado. Eliane foi indicada pela história do seu esposo a ser sucessora, disputando o cargo tão almejado pelo falecido, mas esse já era o projeto do novo 'guru' do partido, e para que isso não acontecesse vários foram os ataques, entre eles o questionamento sobre uma possível fraude na filiação da ex-primeira dama, provocando uma pressão poderosa pela sua desistência.

Tudo isso funcionou. Ontem, Eliane Aquino preocupada com a destruição da história criada pelo seu grande parceiro preferiu não dividir e abriu mão da possível participação nas eleições 2014 na chapa majoritária cedendo a vaga para às pressões internas.

Por outro lado, há quem diga que a viúva nunca seria e nem será de longe a sobra de Déda, na família  a filha do primeiro casamento postou a seguinte mensagem:

Com todas essas dificudades só restou mesmo aceitar a desistência, em seu pronunciamento  Eliane afirmou o seguinte: "Da mesma forma que coloquei meu nome para o projeto do Partido dos Trabalhadores, estou retirando. Vou continuar sendo uma militante, trabalhando pelo PT, por nossas estrelas maiores, acreditando em Lula e acreditando em Dilma. Meu nome está fora desse projeto. Agradeço a cada um que me apoiou e fizeram manifestações gigantescas. A todos aqueles que desejaram meu nome, meu muito obrigada".Agora penso eu, o que diria Rogério se Déda ainda estivesse no poder? O que diria Déda se ainda estivesse vivo? Jamyson Machado, Cientista Social.

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo