Opinião

Eleição de prefeito se decide na capital, eleição de Governo se decide em Brasília

Candidatos, acordos e palanques, tudo vem de cima.
por Redação do Portal Itnet
11/03/2014 08:36h

Sei que muita gente vai especular e fazer valer o poder de divulgação que uma matéria pode sugerir, mas não adianta. As decisões vêm de cima para baixo em qualquer esfera da política, cabe à população dizer não ou dizer sim as mesmas.

Eleição para prefeito tem seu cenário praticamente decidido na capital do estado. Os palanques são montados lá e os acordos de quem vão ou quem não vão ajudar nas campanhas.  Já a eleição de governo do estado depende friamente das decisões em Brasília.  Esse ano três nomes disputarão a presidência, isso mudará completamente o formato das eleições estaduais. 

Valadares deverá seguir a orientação nacional, já que a vitória de Eduardo Campos é sem dúvida uma vitória importantíssima na carreira do próprio senador. Caso o candidato do PSB faça oposição acirrada ao governo do PT, como tem mencionado, a aproximação entre Jackson e Valadares é complicada. Sem contar que o palanque do PSB será montado em Sergipe,  nesse caso Jackson teria que acender uma vela para Dilma e outra para Eduardo Campos, o que parece improvável.

O casamento político entre João Alves e Jackson Barreto é complicado, pois na esfera nacional o DEM e o PT não aceitam acordos entre os partidos,  e João  foi alvo de diversas críticas nacionais do PT e seus “companheiros”. A existência de um acordo delimitará o PT de Sergipe longe do palanque peemedebista, o que é pouco provável e, enquanto isso, Aécio Neves deverá sair com uma chapa presidencial e cobrará do DEM o apoio nacional, já que o PSDB deverá fazer dobradinha, e o vice de João é José Carlos Machado, eleito pelo PSDB. 

Amorim ainda não anunciou quem deverá apoiar na corrida presidencial, uma coisa se sabe, Dilma está fora dos planos,  já que o PT fará oposição ao seu grupo. Duas possibilidades estão em destaque, o PSDB caso o DEM preencha o palanque no estado e levantar um palanque para Aécio Neves, ou Eduardo Campos e fechar uma chapa com Valadares, fortalecendo a campanha do PSB em Sergipe. 

Tudo agora quem vai decidir são os acordos nacionais  para fortalecer as lideranças estaduais. Há quem ainda fale em uma chapa com Eduardo Amorim (PSC) para o Governo, Maria do Carmo (DEM) para o Senado e Valadares Filho (PSB) para vice-governador, com duas chapinhas, uma com o palanque para o PSB e outra com o palanque do PSDB, nesse caso era Amorim que acenderia uma vela para Eduardo Campos e outra para Aécio Neves. Mas... é difícil.

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo