Opinião

Teatro dos Vampiros: morte da Jovem é marco para uma geração insegura e presa na internet

Edjane era uma garota como a grande maioria, todos estamos vulneráveis.
por Redação do Portal Itnet
03/07/2014 07:03h

O assassinato ontem a noite da jovem Edjane pegou a cidade de Itabaiana pelo pescoço. "Esse é o nosso mundo, o que é demais nunca é o bastante, e a primeira vez , é empre a última chance". Foi uma gravata, que nos deixou sem oxigênio. Essa menina era como qualquer filha de qualquer cidadão de classe média baixa de nossa cidade.  Mãe antes do tempo, de um garoto lindo, filho de um grande amigo, Emerson Produções, criava ele como se fosse uma pérola, trabalhando muito, e se dedicando a sua vida. Tinha uma Shynerai, assim como várias garotas e garotos da cidade, fazia academia e dedicava a vida a família. Todos os dias circulava de moto em uma cidade com pouco mais de 90.000 habitantes.  "Vamos sair, mas não temos mais dinheiro, os meus amigos todos estão, procurando emprego". Quem não tem um parente com essa rotina? "Ninguém vê onde chegamos Os assassinos estão livres Nós não estamos" Pois é, a criminalidade que espanta a juventude das ruas, que prende cada vez mais os filhos na tela de um computador, que evita o prazer de viver com os amigos nos melhores locais. Não podemos sair de casa, não podemos deixar nossos filhos saírem, não  dormimos quando eles saem, estamos presos dentro de uma jaula, dentro de muralhas, voltamos a idade média, "voltamos a viver, como há dez anos atrás, e a cada hora que passa envelhecemos dez semanas." Nada vai reparar a dor e a angústia de uma morte dessas, nada... "Não sou perfeito Eu não esqueço A riqueza que nós temos Ninguém consegue perceber E de pensar nisso tudo Eu, homem feito Tive medo e não consegui dormir" Jamyson Machado, cidadão revoltado por ter nascido com as injustiças de um mundo complicado demais. Teatro dos Vampiros, do poeta Renato Russo.

 

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo