Veículos

Em reunião, DNIT acata pedido de manifestantes para construção de redutores de velocidade na BR-235

Reunião aconteceu na manhã de segunda-feira (13).
por Redação do Portal Itnet
14/10/2014 07:12h
Atualizado em 14/10/2014 09:12h

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) acatou o pedido da comunidade que fez uma manifestação no último dia 10 de outubro na BR-235 e se comprometeu em construir quebra-molas e lombadas eletrônicas nos pontos com alto índice de acidentes, nos trechos que cortam a cidade de Itabaiana.

A reunião aconteceu na manhã desta segunda-feira (13) no DNIT e contou com a participação do diretor do órgão José Otávio, o secretário de obras de Itabaiana Moacir Santana, o diretor da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Edilma representando os moradores do Bairro Riacho Doce.

Moradores realizam protesto em função da morte de mãe e filha na BR 235, em Itabaiana Moradores realizam protesto em função da morte de mãe e filha na BR 235, em Itabaiana

Moradores realizam protesto um dia após morte de mãe e filha na BR 235 (Fotos: Itnet).

Após as ponderações dos presentes na reunião ficou decidida uma visita dos Engenheiros do DNIT em Itabaiana o que ocorreu no início da tarde de ontem (13). Os técnicos analisaram criteriosamente os melhores locais para a implantação dos quebra-molas e lombadas eletrônicas. O DNIT ainda comprometeu em mandar limpar todo o mato às margens da BR, para melhorar a visibilidade e diminuir o número de acidentes.

O Superintendente do DNIT José Otávio afirmou que o órgão está atento para a incidência de acidentes que acontecem no trecho e que o órgão irá buscar alternativas para contribuir de maneira efetiva na redução de acidentes. "O DNIT está tão preocupado com a situação quanto à população, medidas urgentes serão tomadas em um curto espaço de tempo", disse José Otávio.

"Somos solidários aos moradores da localidade e como representante do poder público municipal estamos nos colocando à disposição do DNIT para que possamos dar uma resposta na solução do problema, que é sério", avaliou Moacir Santana.

Da redação Itnet.

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo