Internacional

Sergipana que reside na França fala sobre ataque em Paris

Natural de Aracaju, Carol Correia reside em cidade fronteira na França
por Redação do Portal Itnet
14/11/2015 10:34h
Atualizado em 14/11/2015 10:58h

A França sofreu na noite desta sexta, 13 de novembro, o pior atentado de sua história recente. Mais de 120 pessoas foram mortas e por volta de 200 ficaram feridas em Paris após uma série de ataques em restaurantes, nos arredores do estádio Stade de France, onde jogavam as seleções de futebol de França e Alemanha, e na casa de shows Bataclan.

A Sergipana Carol Correira, apesar de não residir em Paris, mora em uma cidade Fronteira com a Suiça, Ferney-Voltaire (grande Genebra), que é cerca de 550km de Paris, ficou em choque ao saber do atentado. Segundo ela, não houve nada antes que alertasse sobre o ataque e mesmo depois do ocorrido, as áreas próximas a fronteira não existe nenhuma movimentação.

praça em paris começa a ser movimentada

"Ontem o François Hollande, presidente do país, falou em fechar as fronteiras, depois explicou que era pra controlar. Hoje o dia tá seguindo como se nada tivesse acontecido mesmo sendo fronteira, temos ideia que eles vão tomar medidas de segurança em relação as fronteiras, mas nos próximos dias", pontua Carol Correia

Ainda segundo ela, a tranquilidade não se restringe a fronteira com a Suiça, a Belgica por exemplo também permanece tranquila.

O Consulado do Brasil em Paris confirmou que dois brasileiros ficaram feridos após os ataques na capital francesa, os dois estavam no restaurante Le Petit Cambodge, no distrito 11 de Paris, que foi alvo de ataques. Eles jantavam quando foram atingidos por disparos.  Um dos brasileiros feridos estava em estado grave e foi submetido a cirurgia. Segundo a cônsul, ele perdeu muito sangue e teve de fazer transfusão. O outro teve ferimentos leves.

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo