Opinião

Sergipe del rei: a guarda do rei não deve determinar quem governará

Na Democracia o poder pertence ao povo, não a Delegados e Desembargadores.
por Redação do Portal Itnet
13/11/2018 05:48h
Atualizado em 13/11/2018 07:02h

Se ficar comprovado que a força policial pode determinar quem será o governante das cidades, fique sabendo que toda oposição será destruída, e os amigos do rei protegidos.

No livro “A República” de Platão, esse trecho mostra que as opiniões não mudaram: “a força é um direito, e que a justiça é garantida somente àquele que é o mais forte, determinam assim o injusto como aquele que transgredir suas regras”.

Qual será o próximo governante que transgredirá?
Quem terá coragem de se opor?
Quem será o próximo da guilhotina?

Desculpem os que estão a serviço do Rei, mas lembrem, o futuro das próximas gerações, não pode ser definido pela força policial, as ações corretivas são brilhantes, mas elas não podem ser coercitivas.

Polemarco afirma que “a Justiça é favorecer aos amigos e prejudicar os inimigos”(331c) A República.

Proteger os amigos e incriminar os inimigos é sem dúvida uma atitude de opressor, e não podemos imaginar que nos dias de hoje as regras possam ser aplicadas a quem o rei determinar. Isso já foi recriminado por Sócrates, 300 a.c., como podemos está debatendo ainda hoje?

Os Erros administrativos devem ser corrigidos, fiscalizados e condenado, os valores devem ser devolvidos, os números divulgados e o administrador colocado frente a frente com o povo, para ser avaliado, assim com fez os romanos quando incriminaram Cristo. O povo pode ser cruel e injusto, pode até escolher um ladrão para libertar, mas o poder continuará com seu legítimo dono.

Por um Cidadão, usando a república de Platão.
Drt - 1373

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo