Policial

Investigações iniciadas no Cope há três meses levam polícia a grupo que explodiria duas agências em Milagres, no Ceará

Trabalho do Cope e Dipol começou com denúncias anônimas sobre uma organização criminosa composta por sergipanos e que articulava explosões de caixas eletrônicos no Nordeste
por Redação do Portal Itnet
08/12/2018 12:45h

Uma investigação iniciada há três meses pelo Complexo de Operações Policiais de Sergipe (Cope) desencadeou uma grande investigação entre quatro estados do nordeste contra uma quadrilha, que tinha como base integrantes sergipanos. Foi essa quadrilha que agiu na madrugada da última sexta-feira, dia 9, em Milagres (CE), onde bandidos estavam prontos para explodir duas agências bancárias na cidade, com pouco mais de 28 mil habitantes. 

As investigações no Cope e da Divisão de Inteligência e Planejamento Policial (Dipol) começaram após a Polícia Civil de Sergipe receber informações sobre a composição de uma organização criminosa com base em Sergipe, chefiada por Manoel da Silva, mais conhecido como Eraldo, 44 anos; e Claudervan Santana Aquino, 26 anos. Ambos morreram no confronto com a PM do Ceará, após o repasse de informações do Cope. 

A troca de informações de inteligência, com a participação das Polícias de quatro estados do Nordeste – Sergipe, Alagoas, Bahia e Ceará, levou os policiais cearenses a evitar o plano de um grupo interestadual especializado em ataques a instituições financeiras, na madrugada da sexta-feira no município de Milagres, na Região do Cariri cearense. Na ocasião, 14 pessoas foram mortas, sendo seis reféns e oito suspeitos. Três homens estão presos (dois deles sergipanos, identificados como Gian Sidney Wynne Santos e Robson José dos Santos), além de armas e carros terem sido apreendidos.

Com o avanço das investigações em Sergipe e o deslocamento da organização criminosa para agir fora de Sergipe, os levantamentos policiais foram articulados entre equipes do Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope) da Polícia Civil de Sergipe, da Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic) da Polícia Civil de Alagoas, do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco) da Polícia Civil da Bahia e da Coordenadoria de Inteligência (Coin) da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Ceará (SSPDS/CE), que acionou composições do Batalhão de Polícia Choque (BPChoque) da Polícia Militar do Ceará (PMCE) para a região onde os criminosos planejavam o ataque.  

Segundo o delegado Dernival Eloi, diretor do Cope de Sergipe, as investigações compartilhadas pelos quatro estados apontavam que o grupo criminoso preparava um ataque a agências bancárias localizadas em Milagres. "Tínhamos certeza da atuação do grupo e Milagres, repassamos informações detalhadas, até a placa dos carros que seriam usados", explicou Dernival.

Durante a tentativa de furto às agências bancárias, cinco criminosos foram baleados, em troca de tiros com a Polícia, nas proximidades das agências que seriam alvos dos suspeitos e morreram. 

Outros dois indivíduos foram atingidos por disparos de arma de fogo e foram encaminhados a unidades de saúde da região, mas não resistiram aos ferimentos e vieram a óbito no hospital. Um oitavo suspeito foi localizado no município de Barro (CE), onde entrou em confronto com policiais militares, e também faleceu. Dos oito criminosos mortos, dois foram identificados no núcleo da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce), em Juazeiro do Norte. São eles: Mackson Junior Serafim da Silva (26), natural de Capela (SE), e Lucas Torquato Loiola Reis (18), natural de Delmior Gouveia (AL).

Na manhã deste sábado, o Cope confirmou a morte também de três sergipanos: Claudervan Santana Aquino, 26 anos, natural de São Cristóvão (SE); Manoel da Silva, o Eraldo, 44 anos, natural de Aracaju; e Rivaldo Azevedo Santos, 22 anos, que também nasceu em Aracaju. Foram estes, os pivôs para o início da investigação do Cope em Sergipe. 

 

Prisões

Como resultado das ações conjuntas realizadas pelas Polícias Militar do Ceará (PMCE) e pela Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), três homens foram presos em flagrante suspeitos de envolvimento com o grupo criminoso. Além das prisões, os policiais apreenderam três armas de fogo, sendo três pistolas (calibres 9 mm, 380 e .40), uma espingarda calibre 12 e um revólver calibre 38; e explosivos. 

Quatro veículos que estavam com os criminosos foram apreendidos: um Chevrolet S10, um VW Saveiro, um Chevrolet Corsa, um Mitsubishi L200, este último roubado na cidade de Nossa Senhora do Socorro, na Região Metropolitana de Aracaju (SE), informação confirmada pela Secretaria da Segurança Pública de Sergipe (SSP/SE). Outros dois carros, que foram roubados na BR 116, também foram recolhidos pelos policiais: um Chevrolet Celta e um Ford Ranger. 

Entre os presos, está um homem de 36 anos, identificado como Robson José dos Santos, natural de Aracaju (SE). Ele foi detido por policiais civis e militares no interior de uma van, na cidade de Brejo Santo. De acordo com informações passadas pela Polícia, durante a ocorrência, na madrugada, Robson se escondeu na casa de uma moradora de Milagres. Ele estava armado e, já no início da manhã, trocou de roupas e fugiu, deixando para trás suas vestes e uma espingarda calibre 12, desmontada, material apreendido pelos policiais. Ele foi autuado em flagrante por integrar organização criminosa, roubo e sequestro.

Também foi apreendida uma pistola 9 mm, dentro do Celta. Os outros dois detidos foram identificados como Gian Sidney Wynne Santos (25), natural de Laranjeiras (SE), e o cearense Cícero Rozelir da Silva Caldas (34), com passagens pela Polícia do Ceará por receptação, desobediência, corrupção ativa, crimes de trânsito, posse irregular de arma de fogo e porte ilegal de arma de fogo de uso restrito. Eles foram autuados por integrar organização criminosa e roubo.

Diligências

Agentes do Grupo de Ações Táticas Especial (Gate), do Comando Tático Rural (Cotar), da Força Tática (FT) e do Batalhão de Divisas – da PMCE – e da Delegacia Regional de Brejo Santo participam das buscas pelos suspeitos. Equipes da Delegacia de Furtos e Roubos (DRF) e do Departamento de Polícia do Interior Sul (DPI Sul) também colaboram com os trabalhos de investigação. Uma aeronave da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) também foi destacada para auxiliar nas buscas aos criminosos. Equipes da Pefoce, incluindo profissionais que estavam de folga, realizam trabalho de levantamento de vestígios nos locais de crime. A Perícia Forense vai priorizar a elaboração dos laudos cadavéricos e dos laudos de locais de crime. 

Do fato

Um grupo fortemente armado chegou à cidade durante a madrugada e tentou atacar duas agências bancárias. De acordo com informações preliminares levantadas pela inteligência e que serão aprofundadas durante o inquérito da Polícia Civil, os assaltantes renderam pessoas que passavam pela BR 116 e levaram os reféns até os bancos. O grupo utilizou um caminhão para bloquear o acesso dos carros na rodovia. 

As viaturas do BPChoque entraram na cidade e, ao se posicionar próximo ao banco, se depararam com a ação criminosa em andamento. Houve troca de tiros entre suspeitos e os profissionais de segurança. Durante o tiroteio, cinco criminosos foram baleados e vieram a óbito no local; outros dois foram atingidos por disparos, socorridos e morreram em unidades hospitalares. O oitavo suspeito morreu em outro confronto com a Polícia no município de Barro.

Além dos criminosos, outras seis pessoas foram feridas e morreram durante a ação criminosa. As vítimas foram identificadas por Vinícius de Souza Magalhães (14), natural de São Paulo (SP), e João Batista Campos Magalhães (49), natural de Serra Talhada (PE) – pai e filho; Gustavo Tenório dos Santos (13), natural Jabaquara (SP), Claudineide Campos de Souza Santos (41), natural de São José do Belomonte (PE), Cícero Tenório dos Santos (60), natural de Maceió (AL) – filho, mãe e pai; e Francisca Edneide da Cruz Santos (49), natural de Brejo Santo (CE).

Denúncia

A Polícia Civil ressalta que a população pode contribuir com as investigações repassando informações que possam ajudar na captura de outros suspeitos. As denúncias podem ser feitas pelos números 181, o Disque Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS); (88) 3531.4841, da Delegacia Regional de Brejo Santo; e (85) 3101-1140 / 3101-1141 / 3101-1142 / 3101-1143, da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF). O sigilo é garantido.

Com informações da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará e Secretaria da Segurança Pública de Sergipe

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo