Política

Última sessão do ano da Câmara de Vereadores de Itabaiana acaba sem votação de projetos importantes por falta de quórum

Dentre os projetos estão: reajuste de taxa cobrada no matadouro e mudança do nome da Câmara de Vereadores.
por Redação do Portal Itnet
13/12/2018 10:48h
Atualizado em 13/12/2018 10:58h

Mais uma vez a sessão da Câmara de Vereadores de Itabaiana ganha destaque na mídia. A última sessão do ano, que ocorreu hoje, 13, foi encerrada sem a votação de alguns projetos importantes por falta de quórum.

Alguns vereadores compareceram à sessão, mas foram embora no momento que os projetos seriam votados. Como esta foi a última sessão, corre o risco de os projetos só serem votados ano que vem.

 Isso só não ocorrerá, caso o presidente da Casa, Zé Teles marque uma sessão extraordinária ainda este ano, como ele mesmo informou à nossa equipe. “Possa ser que uma sessão extraordinária ocorra ainda esse ano, mas não há nada marcado ainda”. Disse Zé.

Dentre os projetos estavam o que prevê alteração do nome do prédio da Câmara, para mudar de Luciano Bispo de Lima para Heleno Tavares da Mota, saudoso vereador que por várias vezes comandou a Casa, bem como o projeto que prevê reajuste nas taxas cobradas no matadouro municipal.

Se mantiveram na sessão: Zé Teles, Marcos Oliveira, José Virtuozo, Carlos Vágner, Moisés de Acioli, Zomas e Wagner Menezes. Os vereadores Gustavo Bispo, João Cândido e Zé Roberto não compareceram à sessão. Ivoni, Silvaldo Gois e Paulo Messias foram à Câmara, mas foram embora.

Tentamos contato com os três. Tanto Paulo Messias como Sinvaldo Gois ressaltaram que os projetos foram colocados para votação de última hora, descumprindo o que já havia sido proposto pelo presidente.

“Por determinação de Zé Teles, já a oito dias não poderia tramitar projeto de lei de autoria parlamentar, apenas Indicações por dispensar votação. Apenas só daria entrada projeto de interesse do executivo, mas para a minha surpresa, na última sessão, o presidente resolve colocar um projeto de lei de autoria da mesa diretora para a votação, descumprindo aquilo que ele mesmo tinha determinado”, disse Paulo Messias.

Sinvaldo afirmou que “ao chegar na Câmara recebeu projetos de última hora, sem poder sentar para analisar o projeto [...] Primeiro tem que sentar com o jurídico da prefeitura para poder entender, antes de votar”. Não conseguimos falar com a vereadora Ivoni.

O vereador Marcos Oliveira, 1º secretário disse que desde ontem os projetos estavam nos gabinetes de todos os vereadores, então, segundo ele, houve tempo sim para analisar os projetos.

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo