Opinião

ITABAIANA: mais de 60 homicídios registrados e o esquecimento de que VIDAS IMPORTAM

A sociedade itabaianense se acostumou com a ideia de que “se fez algo errado, tem que morrer”. É isso mesmo?
por Redação do Portal Itnet
11/11/2019 11:59h

Por Taís Cristina, jornalista. DRT SE/2411

Novembro chegou e as estatísticas mais recentes trazem um registro de 65 homicídios em nossa cidade neste pouco mais de 10 meses de 2019. Para uma cidade de quase 100 mil habitantes, esses números são muito altos e assustam.

Por trás de cada caso há uma história, há uma mãe que chora, há alguém que lamenta a partida repentina de alguém. Vidas importam.

Claro, a gente sabe que a maioria das vítimas (quase que sempre jovens) possuem envolvimento com algum crime, com o tráfico, uso de drogas, algo assim, mas o que vejo é que a sociedade se acostumou a caracterizar as mortes como “mais uma”, como algo “normal”.

E não gente, não é normal homicídios quase que todo dia, não é normal ver os nossos jovens se perdendo na vida e perdendo a vida por conta de coisas ruins que o mundo oferece. Não é normal a gente ver notícias de homicídios e não se sentir tocado, não sentir um pouco da dor da mãe, do pai, da esposa, do filho que chora.

Num caso recente, uma mãe viu o filho ser morto a tiros em sua frente, imagina a dor dessa mulher, e imagina a dor maior ainda ao ouvir inúmeros julgamentos, como “se não presta, tem que morrer”.

Mas será que ela não estava lutando e ajudando o seu filho? As pessoas, muito frias, só levam o tempo em julgar e esquecem que vidas importam.

E antes que vocês achem isso, eu não estou defendendo quem comete crimes, não, não é isso, Eu só acho que as pessoas se acostumaram a ver tudo ser resolvido “na bala”, como se diz e achar isso normal. E isso não é normal.

Quem comete crime deve sim ser punido, mas não com a vida, para isso existe a Justiça, mesmo que falha, na maioria das vezes. E quando eu falo em crimes deixo de fora casos bastante banais que ocorrem em Itabaiana e que todo mundo sabe e até “concordam”.

“Esse morreu porque mexeu com a mulher de fulano” e os julgamentos já começam, “foi mexer com mulher dos outros, deu nisso. Bem feito”.

Peraí gente! Bem feito? Tem gente que comemora sim! Tem gente que é sim a favor de mortes. E isso não pode ser visto como algo normal, pois vidas importam.

As pessoas andam tão cruéis, tão sem sentimento, que muitas vezes presenciam a cena após um crime, um cadáver ali ao chão, o sangue escorrendo, familiares chorando ao redor e a única preocupação no momento é tirar uma foto daquela cena dolorosa.

Eu sou jornalista, lido com isso quase que sempre, mas eu não consigo achar isso normal, porque não é normal e para mim, vidas importam.

Eu só quero com esse texto tocar o coração das pessoas, para que façam uma reflexão, que se sintam tocadas com a nossa triste situação. Não é porque não é meu filho, meu pai, meu namorado, que eu vou achar tudo isso normal. Afinal, VIDAS IMPORTAM.

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo