Educação

UFS: confira como estão os serviços para implantação da fazenda experimental do campus do Sertão

Local vai abrigar laboratórios didáticos, vivência, restaurante, biblioteca, dentre outros
por Redação do Portal Itnet
03/12/2019 17:02h
Atualizado em 03/12/2019 17:13h

Por comunica@ufs.br

Após quatro anos da inauguração do campus do Sertão, em Nossa Senhora da Glória, a Universidade Federal de Sergipe deu início, dia 8 de outubro, à obra de implantação da estrutura a ser construída na fazenda experimental. Essa primeira etapa compreende a execução da terraplenagem, pavimentação, drenagem, entrada de energia e iluminação pública, com um investimento de R$ 6.563.061,42.

Obras devem ficar prontas em 2021.

A segunda etapa, já contratada, engloba a execução de duas edificações: Laboratórios Didáticos 01 e 02 (cada um com 1.310 m²), destinados às salas de aula, auditório e laboratórios. A previsão orçamentária para a execução desses prédios alcança R$ 6.146.187,05.

Maquete da estrutura a ser construída na fazenda experimental do campus do Sertão.


Será construído também o Centro de Vivência (já licitado), com 5.661,90 m², num investimento de R$ 12.815.038,10. O assessor do reitor Jorge Antonio Gonçalves, da Divisão de Projetos e Orçamentos (Dipro), explica que será um complexo com quatro edifícios interligados por um grande pátio central.

Laboratórios Didáticos 01 e 02 (cada um com 1.310 m²).


“O objetivo é oferecer à comunidade acadêmica um local de encontro, refeições, apresentações e contemplação, onde terá um pequeno palco, espaço para circulação e acomodação de mesas e bancos. Além disso, o campus terá mobilidade e acessibilidade para todos os usuários, assegurando o acesso de idosos e pessoas com deficiência física ou com mobilidade reduzida”.

“Em relação à regulamentação construtiva, [as obras] estarão regidas por normas que estabelecerão recuos mínimos, alturas máximas e taxas que estejam relacionadas ao macrozoneamento do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano de Nossa Senhora da Glória. Esta regulamentação induzirá e possibilitará a qualidade ambiental do empreendimento”, complementa o assessor.

Todos os projetos e imagens foram executados pela Dipro/UFS.


Ainda de acordo com Jorge, a concepção urbanística estrutura-se a partir de uma via de acesso longitudinal em sentido único (largura mínima de 7 m), canteiro central ajardinado ou arborizado com passeio público segregado, em nível diferente, e mobiliário urbano. Rotatória (praça) e sistema de retorno através de cul-de-sac (“rua sem saída”), assegurando um bom fluxo de veículos. Os estacionamentos e edificações serão implantados perpendiculares e/ou paralelos à via e o acesso ao campus – pedestres e veículos – será exclusivamente pela guarita de segurança.

A obra vai compreender 9.372,10 m² de área de calçada e 3.368,01 m² de ciclovia. A área de pavimento alcança 21.504,44 m². Conforme o diretor do campus, Jodnes Sobreira, a previsão para entrega das obras é 2021. “A vivência, que será o coração do campus, deve ficar pronta no final de 2021, porque a obra é um pouquinho mais complexa. Ela terá restaurante universitário, auditório para mais de 240 pessoas, biblioteca, setor administrativo da fazenda, lojas de serviços, centros acadêmicos, gráfica da universidade, entre outros serviços. A nossa ideia é que a universidade seja autossuficiente”.

Fernanda Roza (bolsista)
Luiz Amaro
comunica@ufs.br

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo