Nacional

Memorial Inumeráveis segue contando as histórias das vítimas do COVID-19 em Sergipe

Saiba como contar e manter viva a história de uma pessoa próxima.
por Redação do Portal Itnet
13/08/2020 10:05h
Atualizado em 13/08/2020 10:15h

Maria de Lourdes, 86 anos, foi uma das vítimas do novo coronavírus em Sergipe. Sua história virou prosa por meio da entrevista cedida pela neta Vanessa Menezes ao jornalista Rafael Amorim, um dos voluntários do projeto inumeráveis (inumeráveis.com).

Assim como ele, uma equipe de voluntários e estudantes de jornalismo do Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal de Sergipe (DCOS), com orientação do professor Vítor Braga, vem registrando, desde maio, as histórias de vítimas pela COVID-19 no estado para o Memorial Inumeráveis, um site que homenageia vítimas essas vítimas no Brasil.

Embora os dados mais recentes sobre as vítimas em Sergipe sejam alarmantes, o projeto se constrói na ideia de que, mais importante do que os números, são as histórias de vida das pessoas. Cada um que partiu deixou filhos (as), companheiros (as), familiares, e amigos (as), bem como contribuições à comunidade que fez parte. Por isso, o Inumeráveis segue com a missão de valorizar e eternizar a memória de cada um desses (as) sergipanos (as).

Como posso contar a história de uma vítima próxima?

Caso você seja familiar, amigo ou conheça alguma vítima da COVID-19 em nosso estado e queira contar essa história, entre em contato pelo e-mail do memorial em Sergipe: projetoinumeraveisse@gmail.com ou envie uma mensagem por WhatsApp para o número (79) 99117-2933.

Onde estão sendo publicadas as histórias?

Todas as histórias publicadas estão disponíveis no site oficial do Memorial Inumeráveis https://inumeraveis.com.br ​e no Instagram: @memorialinumeraveis. Nosso papel é manter vivo o legado de cada uma das vidas que foram perdidas.

Em Sergipe, o grupo de voluntários e jornalistas conta também com uma série de parceiros na publicação dessas histórias em diferentes canais.

A TV UFS em parceria com a Divisão de Ações Inclusivas (DAIN) tem disponibilizado as narrativas traduzidas na Língua Brasileira de Sinais na página do Instagram @tvufs e no canal do Youtube da TV, assim como a Cia de Teatro da ALESE que interpretará os relatos escritos sobre as vítimas do estado em sua página do Instagram @ciadeartealese.

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo