Policial

Mandante e um dos envolvidos na morte do secretário de obras de Brejo Grande são presos

Outro envolvido no crime, que ocorreu no mês de junho continua foragido.
por Redação do Portal Itnet
13/08/2020 11:53h
Atualizado em 13/08/2020 11:55h

A Polícia Civil concluiu as investigações sobre o homicídio que vitimou o secretário de obras da cidade de Brejo Grande, José Milton Marques Silva, no dia 1º de junho deste ano.

A ação policial resultou nas prisões de Damião Feitosa, pré-candidato a vereador, apontado como o mandante do crime, e de Radlley Henrique Figueiredo da Silva, que conduzia o veículo que deu fuga ao executor da ação criminosa, identificado como Edmilson Oliveira dos Santos, conhecido como “Mimi”. 
 
O procedimento investigativo e as ações policiais que resultaram nas prisões dos envolvidos no crime contaram com o apoio da Divisão de Inteligência (Dipol) e da Coordenadoria de Polícia Civil do Interior (Copci). 

De acordo com o delegado José Luiz Accioly, que coordenou as investigações, a vítima foi atingida por quatro disparos de arma de fogo dentro do prédio da secretaria, ainda durante o expediente.

“O secretário de obras de Brejo Grande foi morto por Edmilson quando estava sentado no sofá, falando ao telefone. Foram quatro disparos de arma de fogo, sendo três no abdômen e um no rosto”, detalhou.
 
O procedimento investigativo apontou que Edmilson chegou ao local e praticou o crime, enquanto Radlley esperava do lado de fora do prédio, em um veículo utilizado para a fuga.

“Na fuga, o carro quebrou e foi abandonado. Eles fugiram para um matagal, onde ficaram do horário da fuga até a noite, enquanto as equipes de policiais civis, militares e o Grupamento Tático Aéreo (GTA) faziam buscas na cidade”, complementou.
 
Ainda conforme o delegado, por volta das 19h, Damião, apontado pelas investigações como o mandante do crime, encaminhou Manoel Nascimento da Silva Neto, o “Neto Som”, para resgatar Radlley e Edmilson.

Eles foram levados à divisa com Alagoas, de onde cada um fugiu para um estado diferente. Radlley foi preso em Catu (BA) e confessou o crime, sem revelar a motivação. “Damião passou o veículo e pagou a quantia de R$ 5 mil para que executassem a vítima”, mencionou. 
 
Damião foi preso na própria residência, na cidade de Brejo Grande. Ele ainda tentou se esconder da ação policial e, em depoimento, nega o envolvimento no crime, mas as investigações comprovaram sua participação efetiva no homicídio do secretário de obras da cidade.
 

As investigações seguem para elucidar a motivação do crime. As buscas continuam para localizar o executor do delito, identificado como Edmilson Oliveira dos Santos. Informações e denúncias podem ser repassadas por meio do Disque-Denúncia (181). O sigilo é garantido.

Procurado pela Polícia. Foto: SSP/SE


Fonte: SSP/SE

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo