Concursos

Governo de Sergipe autoriza novo concurso para agentes e escrivães da Polícia Civil

O concurso público prevê 50 vagas para agentes e 10 para escrivães.
por Redação do Portal Itnet
20/08/2020 09:12h

Sergipe contará com mais um importante reforço na segurança pública. O Governo do Estado autorizou a realização de um novo concurso público para a Polícia Civil.

O certame prevê a abertura de 50 vagas para agentes de polícia judiciária e 10 para escrivães de polícia. O processo, autorizado pelo governador Belivaldo Chagas, encontra-se em andamento na Secretaria de Estado da Administração (Sead). Os próximos passos serão a contratação da empresa para aplicação das provas e a finalização do edital.

O secretário da Segurança Pública de Sergipe (SSP), João Eloy de Menezes, explicou que as definições para a realização do concurso público já vinham em andamento para garantir a contratação de novos policiais civis para Sergipe com brevidade. O secretário ressaltou a importância social da Polícia Civil, tanto para a manutenção da segurança pública, quanto para a melhoria da sociedade.

“Agora temos um concurso autorizado pelo governador, é uma tratativa que vinha antes da pandemia. Ser policial é cuidar da população, cuidar de seus amigos. Muitas pessoas pensam que a polícia é só correr atrás de criminosos. A Polícia, hoje, protege famílias. Temos o Departamento de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV), que é um órgão da Polícia Civil, que protege a família. Ser policial, hoje, é proteger a sociedade”, frisou.

João Eloy, secretário de Segurança Pública de Sergipe


O delegado-geral, Thiago Leandro, enfatizou a importância do novo concurso público para os quadros da Polícia Civil.

“É uma notícia muito boa, que vai trazer grandes melhorias para a instituição, já que estamos carentes de servidores. O concurso oxigena a polícia, melhora o trabalho, e quem ganha é toda a sociedade, o povo sergipano. São profissões muito importantes e o candidato tem que se dedicar tanto no estudo, quanto na atividade policial, para servir e proteger a população”, realçou.

Thiago Leandro complementou citando que os candidatos, que precisam ter nível superior e passarão por cursos de formação na Academia de Polícia Civil (Acadepol), irão encontrar diversas possibilidades de atuação na Polícia Civil.

Thiago Leandro, Delegado Geral de Polícia Civil


“A pessoa tem que ter aptidão e vocação. A Polícia é um trabalho totalmente diferenciado. Cada dia você aprende, é uma expectativa, é uma novidade, é um crime diferente, já que os criminosos também inovam. É um aperfeiçoamento eterno. A Polícia é uma escola do dia a dia”, revelou.

Atualmente delegado-geral, Thiago Leandro contou um pouco da trajetória dele na Polícia Civil e reiterou o envolvimento com a instituição, que, a cada novo dia da rotina policial, ganha mais força.

“É uma sensação muito boa. Eu entrei na Polícia Civil com 18 a 19 anos de idade, através de concurso de investigador de polícia. É uma profissão apaixonante. É muito difícil alguém querer sair da Polícia Civil. É uma profissão que encanta e é um lugar muito bom para trabalhar. Embora, nós convivemos com cenas tristes, que realmente nos comove, mas é uma profissão fantástica”, demonstrou.

Ele concluiu fortalecendo a importância do trabalho policial, tanto na perspectiva social, quanto de crescimento pessoal para os novos integrantes da instituição.

“A Polícia Civil espera que os futuros policiais entrem com determinação, com o foco do que é a instituição. Tem que se dedicar, aprender, escutar. É um mundo novo. Às vezes, a família fica um pouco preocupada, mas é um mundo fantástico. Acabamos formando uma nova família dentro da polícia. A Polícia Civil é uma família, não só aqui, mas em todo o Brasil”, pontuou.

Fonte: Polícia Civil

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo