Tecnologia

Cinco motivos para aprender a programar

por Redação do Portal Itnet
14/10/2020 10:24h

Um passaporte para conseguir emprego: é assim que muitas pessoas veem a programação. De acordo com as Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), o mercado brasileiro demanda mais de 70 mil profissionais por ano na área de tecnologia, enquanto somente cerca de 46 mil se formam.

Além disso, especialistas apontam que muitas profissões dentro - e fora - da área ainda vão ser criadas e demandar pessoas prontas a executá-las.

Computadores, aplicativos, robótica, inteligência artificial, Internet: tudo isso faz parte da vida da sociedade. E por trás desta transformação digital, está a linguagem da programação. Aprender, ou pelo menos conhecer, traz benefícios que podem fazer a diferença.

1) Aprender novas linguagens

Aprender programação deve ser visto com naturalidade. De certa forma, pode até ser encarado como um processo de alfabetização no ambiente virtual. No entanto, aprender a programar não deve ser uma atividade exclusiva para crianças e jovens; adultos e idosos devem conhecê-la e por que não também aprender, visto que são parte do cotidiano?

O Centro para Crianças e Tecnologia informa que o desempenho de jovens e adultos que aprendem a programar é cerca de 16% superior ao de outros estudantes. Para os idosos, a lógica de programação ajuda o cérebro a prevenir doenças cognitivas comuns no envelhecimento.

2) Desenvolver o pensamento computacional

Parece algo complicado, mas significa aprender e colocar em prática o raciocínio lógico utilizando diversas habilidades cognitivas e teorias de diferentes áreas do conhecimento. Matemática, Química, Informática, Inglês são algumas delas.

3) Fortalecer a habilidade de resolver problemas

Programar é encontrar formas de superar problemas para chegar a um objetivo. Portanto, o pensamento, de forma multidisciplinar, contribui para desenvolver a capacidade de tomar decisões baseadas em escolhas que consideram prós e contras.

É estabelecer suposições que podem ou não ser comprovadas buscando especificidade e precisão na execução. Não é questão de rapidez, mas de persistência, de insistir nas tentativas diante de cada erro ao longo do processo até encontrar a resolução de cada etapa e que leva ao resultado geral.

Ou seja, programar não deixa de ser um estímulo à criatividade e a construir novas formas de pensar, elaborar e transformar algo em realidade.

4) Automatizar e melhorar a organização pessoal e profissional

Um exemplo bem prático: a maioria das pessoas não tem a menor ideia de todas as funcionalidades e nem usa boa parte dos aplicativos que estão nos próprios celulares ou computador.

Ao entender sobre a programação, muitas tarefas do dia a dia poderão ser automatizadas: classificar e filtrar e-mails, atualizar relatórios, definir quais informações são prioritárias, entre outras. É uma ajuda na organização e para o uso mais eficiente do tempo dentro e fora do trabalho.

5) Aumentar as chances no mercado de trabalho

Relatório do Fórum Econômico Mundial indicou que os profissionais que atuam como Desenvolvedor de Softwares e Desenvolvedor de Aplicativos devem estar entre os mais solicitados pelas empresas.

O programador pode trabalhar com o desenvolvimento web, seja na parte visível (front-end) ou não (back-end) pelos usuários. E ainda pode ser híbrido, como por exemplo, analistas de marketing e os cientistas de dados, que usam a linguagem Phyton para interpretar as informações, por exemplo.

De acordo com a consultoria Ernst & Young, pelo menos dez profissões devem desaparecer até 2025. E as que permanecerem, serão influenciadas pelo uso de tecnologia. E ter as habilidades como pensamento multidisciplinar, capacidade de tomar decisões e resolver problemas estão entre os diferenciais buscados pelos empregadores.

Um ponto importante: todo mundo é capaz de aprender a programar. Quem se interessar, pode usar um comparador de cursos para encontrar uma capacitação que permita a entrada neste universo.

Não faltam opções de cursos on-line, como os da Udacity, para  quem deseja se capacitar ou se aperfeiçoar em nichos deste mercado.

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo