Justiça

Homem que provocou atropelamento que matou ciclista em Aracaju vai responder ao crime fora da prisão

A decisão da Justiça deixou amigos, familiares do ciclista André Espínola e adeptos do ciclismo indignados.
por Redação do Portal Itnet
12/11/2020 08:17h

A Justiça Sergipana, através do juiz Icaro Tavares Cardoso, da 8ª Vara Criminal de Aracaju, revogou na última terça-feira, 10, a prisão preventiva de Mário Chiachiaretta Neto, acusado de atropelar e matar o ciclista André Rodrigues Espínola. O caso foi registrado no dia 20 de julho, na Avenida Inácio Barbosa, em Aracaju.

Dia da prisão do acusado


Com a decisão do juiz, Mário responderá ao crime não mais na prisão, onde estava, até então, mas sim através de medidas cautelares.

São elas:

-Comparecer mensalmente em juízo para informar e justificar suas atividades;

-Não manter contato com pessoa arrolada como testemunha nesta ação, devendo o acusado dela permanecer distante;

-Não se ausentar da Comarca de Aracaju, sem autorização judicial, por mais de oito dias

-Recolher-se em seu domicílio nos dias de folga e, nos dias úteis, das 20h às 06h;

-Submeter-se à monitoração eletrônica;

-Fica suspensa a permissão ou a habilitação para dirigir veículo automotor.

-Deve ser aplicada a monitoração eletrônica, pelo prazo de 120 dias, sujeito a prorrogação. Se não houver tornozeleira eletrônica disponível, fica dispensado o seu uso.

-O acusado deve manter o endereço atualizado.

Na decisão, o juiz disse que “não há indicativo de que em liberdade o acusado praticará atos delituosos, colocando, assim, em risco a ordem pública, pois, em consulta ao SCP-V do TJSE, não se divisa nenhuma outra ação penal na qual figura ou figurou o denunciado como réu, bem como que, segundo consta dos autos, o réu teve a sua CNH cassada, além de ser possível a sua suspensão do direito de dirigir”.

A decisão da Justiça deixou amigos, familiares do ciclista André Espínola e adeptos do ciclismo indignados. Várias postagens foram feitas e se espalharam rapidamente pelas redes sociais, como a publicação abaixo:

O CASO:

No dia 20 de julho, Mario Chiacchiaretta Neto foi preso em flagrante, por homicídio doloso (quando há a intenção de matar).

O carro que ele conduzia atingiu outro carro, que capotou várias vezes, e também atingiu o ciclista André Espínola, que faleceu no local.

Mário realizou o teste de bafômetro, que indicou teor alcoólico muito acima do que é permitido por lei.

O caso gerou muita repercussão em todo estado e o pedido da sociedade era um só: Justiça. A vítima, André, era um amante do ciclismo e gostava de pedalar com amigos, mas infelizmente teve a vida interrompida no acidente.

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo