Educação

Alunos do Nestor Carvalho se destacam em olimpíadas científicas

Medalha de ouro, prata, bronze, classificação para próxima fase. Mesmo em meio aos desafios de 2020 os alunos do colégio itabaianense brilharam nas provas.
por Redação do Portal Itnet
19/12/2020 07:40h
Atualizado em 19/12/2020 07:56h

Os alunos do Colégio Estadual Professor Nestor Carvalho Lima, em Itabaiana vem se destacando pelas conquistas obtidas na participação em Olímpiadas Científicas. Eles participaram de quatro competições esse ano, Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), Olimpíada Virtual de Química (OVQUIM), Olimpíada Brasileira de Física (OBF) e a Olímpiada Nacional de Ciências (ONC).

Todas as provas aconteceram de forma virtual e em todas houve estudantes que alcançaram medalhas e/ou passaram para as fases seguintes. Na OBA, Giovanna Ribeiro Nunes da Paixão teve pontuação máxima e conquistou medalha de ouro, Rikelmer Dos Santos Marciano, medalha de prata e Emilly Vitória Leite Rezende, medalha de bronze. Sendo ainda que, os ganhadores da medalha de ouro e prata foram convocados para a seletiva da Olimpíada Internacional de Astronomia.

 

Já na OVQUIM, João Paulo Mendonça e Rikelmer obtiveram medalha de bronze. Além dessas medalhas, o aluno Rikelmer já garantiu sua vaga na próxima fase na ONC e está esperando o resultado da segunda fase da OBF. Como os últimos resultados foram excelentes tanto o professor, José da Silva Menezes quanto o diretor do colégio, Plácido Brandão, estão confiantes para uma boa colocação.

Eles comentam que essas conquistas são uma ótima forma dos alunos ficarem mais motivados e interessados em aprender sempre mais, quem sabe também estimular outros alunos. Todos os aprendizados, independente da disciplina vão contribuir mais na frente para as profissões escolhidas por eles, e claro, para a toda a vida.

José Menezes, além de lecionar física também é o professor representante da escola nas provas de olimpíadas. Sendo o responsável por fazer as inscrições e auxiliar os alunos. Para poder orientar e tirar eventuais dúvidas dos alunos foi criado um grupo no WhatsApp. Assim, todo o suporte pode acontecer de forma online e o resto foi com os alunos.

 

De acordo com José, em anos normais a escola sempre participa dessas provas, feiras de ciência e atividades do tipo. Os alunos sempre o procuram ou ao diretor para saber como participar. Nesse ano, mesmo com todos os desafios enfrentados com as aulas virtuais, e com a pandemia, não foi diferente. "A gente sabe que alguns alunos sempre querem saber se vale alguma nota, mas com eles não. É espontâneo. E é uma coisa que dá gosto. Porque você sente aquela esperança que tudo pode ser diferente ", afirma o professor com felicidade.

Plácido ressalta ainda que essas conquistas são importantes não só para os alunos, mas para toda a comunidade escolar. Pois, existe certa estranheza quando falamos de uma escola do interior com estudantes sendo premiados.  “A maioria das pessoas espera medalhas de alunos de escolas da capital ou de escolas particulares. Quando se fala de uma escola do interior, a capital em si, tem um pouco de preconceito. Como se no interior não houvesse produção científica. O fato deles obterem bons resultados, mostra que os alunos das escolas do interior, também tem bons professores e que temos alunos preocupados com o crescimento científico.“, finaliza o diretor orgulhoso dos alunos. Que com certeza estão contribuindo para que o preconceito, ainda existente com escolas de cidades do interior e escolas públicas, seja quebrado.

 

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo