Saúde e Ciência

Samu registrou mais de 44 mil atendimentos em Sergipe no ano passado

Houve aumento nos chamados para atendimentos de síndromes gripais.
por Redação do Portal Itnet
10/01/2021 08:55h

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192 Sergipe), órgão gerenciado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), apresentou o balanço das ocorrências em 2020. De acordo com dados extraídos do e-SUS, foram mais de 44 mil atendimentos este ano.

Por causa da pandemia do novo coronavírus, houve uma crescente no total de ocorrência, principalmente transferências, e o serviço teve que se adequar à demanda para dar uma melhor assistência à população. 

De acordo com a superintendente do Samu, Karina Mendonça, além dos atendimentos externos como as quedas provenientes da própria altura, as colisões, os ferimentos por arma de fogo e por arma branca, os atropelamentos, bem como casos de agressão física e queimaduras, as síndromes gripais tiveram uma maior incidência de casos registrados. No total, foram  44.812 atendimentos pré-hospitalares e 7.367 transferências.

A superintendente salientou que o Samu, além dos serviços prestados aos pacientes suspeitos da Covid-19, também tem realizado os atendimentos rotineiros. “A Rede Estadual de Saúde se preparou e fez as adequações necessárias para oferecer ampla assistência à população durante o período da pandemia, em um ano atípico para todos, onde as ocorrências cresceram desde o mês de março”, disse.

A utilização das motos na assistência pré-hospitalar garantiu ainda mais eficiência no tempo resposta dos atendimentos, enquanto a Unidade de Suporte Básico (USB) ou Unidade de Suporte Avançado (USA) se deslocam para uma ocorrência.

As motolâncias seguem em duplas formadas por técnicos de enfermagem que possuem treinamento e certificação específicos do Ministério da Saúde para esse atendimento, conforme a Portaria Nº 2.971, de oito de dezembro de 2008, que confirma a adesão desse veículo como integrante da frota de intervenção do Samu.

“As motolâncias garantem o atendimento dos primeiros socorros em curto espaço de tempo, gerando uma resposta operacional rápida, eficaz e segura enquanto o paciente aguarda a ambulância solicitada, que vai de acordo com a gravidade. Esse tipo de assistência corrobora, sem dúvida, em um auxilio dinâmico”, enfatiza Karina Mendonça. 

Para a superintendente, o Samu tem prestado um importante serviço durante todos esses anos desde a sua implementação. O órgão tem sido essencial para garantir que em meio aos desafios diários, seja no trânsito e ou durante uma pandemia, o paciente receba o pré-atendimento adequado e que seja estabilizado em casos graves”, concluiu.

Fonte: SES

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo